Tricolor acabou sendo eliminado nas semifinais; foco agora aponta para 2016, na Série B

_AFV5544
 

Gustavo elogiou postura adotada pelo Gonçalense. Foto: André Fabiano.

A edição de 2015 da Copa Rio ficou no passado para o Gonçalense. O sentimento de frustração por não ter chegado na final, no entanto, se transformou em orgulho para os jogadores que fizeram parte do elenco. Um dos mais experiente, o volante Gustavo Moura elogiou a forma como o Tricolor se comportou em sua primeira participação na competição estadual.

— O que importa é que o Gonçalense jogou como time grande, atacando muito, sem ficar atrás. Vamos embora sabendo que fizemos o melhor. Ficamos tristes pela eliminação, mas cumprimos nosso dever — disse o atleta, que lamentou principalmente a expulsão do lateral-esquerdo Rato no segundo jogo da semifinal.

— O Gonçalense tem que sair de cabeça erguida pelo que fizemos. Todos viram que demos o máximo, criamos, tentamos de todas as formas, mas a bola não entrou. Tivemos um jogador expulso no primeiro tempo e isso foi um motivo a mais para correr. O Rato não teve culpa — encerrou.

Sem mais compromissos em 2015, o Gonçalense começa a se planejar para a Série B Estadual de 2016, onde tentará novamente o acesso à elite do futebol do Rio de Janeiro.