Estádio receberá inicialmente 10 mil pessoas; em 2015, mais oito mil lugares deverão ser anexados

Local onde ficará o campo do “Catarinão”, com vestiários e cabines de
imprensa ao fundo. Foto: Gabriel Farias.

As obras avançam em ritmo acelerado e a tendência é que em dezembro, o “Catarinão”, estádio de propriedade do Gonçalense Futebol Clube, que vem sendo erguido no bairro do Jardim Catarina, em São Gonçalo, esteja apto a receber um público de 10 mil pessoas, na conclusão da primeira etapa, com arquibancadas laterais erguidas numa das laterais do campo. Em 2015, a previsão é de que mais oito mil lugares sejam erguidos atrás dos gols.

Os sistemas de irrigação e drenagem já estão concluídos. No local onde será o campo, o substrato – última camada de terra – está sendo colocado. Depois, será a vez do gramado ser plantado. A “verdinha” deve ser colocada nas próximas semanas. O prédio com os vestiários e cabines de imprensa também se encontram em fase de finalização.

– Nesse mês colocamos o gramado e vamos partir para a instalação dos alambrados. As arquibancadas serão erguidas em cima de taludes, conforme é feito em estádios como o Barradão (do Vitória, da Bahia), o Mario Helênio (do Tupi, de Minas Gerais) e parte do Pacaembú (do Corinthians) – explica o presidente do Gonçalense, Joacir Thomaz, que também é o proprietário da empreiteira que vai tocando a obra.

– Para o final do ano vamos estar prontos para receber 10 mil pessoas, com certeza. Aí vamos correr atrás dos laudos para a liberação de torcida, que é a parte burocrática. Em 2015, vamos ampliar a capacidade com as arquibancadas atrás dos gols, totalizando 18 mil lugares – garantiu o mandatário do Gonçalense.

O ritmo acelerado das obras é justificado pela aproximação do final do ano e as costumeiras chuvas que marcam esse período. Joacir Thomaz explica que as mudanças climáticas são os principais fatores que retardam o andamento da construção do estádio.

– Com chuva não se faz nada. Estamos acelerando o andamento da obra para deixar tudo pronto até lá, para que não atrapalhe o planejamento.

Estádio recebe nome oficial

Por se localizar no Jardim Catarina, o estádio que vem sendo erguido já vem sendo carinhosamente chamado pela população local de “Catarinão”, mas o nome oficial do local foi divulgado durante a semana, junto com o lançamento do site oficial do clube. “Cantídio de Oliveira Thomaz”, pai do presidente do Gonçalense, Joacir Thomaz, dará nome ao estádio.

Arena Cata Vento: projeto para o futuro

Arena Cata Vento: orçada em meio bilhão, estádio é projeto para o futuro.
Imagem: Divulgação.

Paralelamente às obras do Catarinão, a diretoria do Gonçalense mantém como principal desejo a construção de uma grande arena multiuso no mesmo local. a Arena Cata Vento, conforme foi batizada – devido ao seu formato – está projetada para ter 43 mil pessoas. No Rio de Janeiro, ficaria atrás apenas de Maracanã e Engenhão.

O projeto, orçado em meio bilhão de reais e que viria acompanhado de um shopping, carece de parceiros. Joacir Thomaz garante que as conversas estão em andamento e que o sonho de ter um estádio de nível mundial em São Gonçalo segue mais vivo do que nunca.

– Não começamos nada da arena ainda por causa do valor. Estamos conversando com possíveis parceiros e mantendo isso como nosso grande objetivo – explicou.

Acesso próximo

Enquanto vai ampliando seu patrimônio físico, o Gonçalense também vai conseguindo conquistas dentro de campo. Neste domingo (14), o Tricolor Metropolitano enfrenta a Esprof, na Rua Bariri, em Olaria, às 15h. Em jogo estará o tão sonhado acesso à Série B Estadual. Para alcançar o feito, basta uma vitória simples contra um adversário sem pretensões na competição.

//s7.addthis.com/js/300/addthis_widget.js#pubid=xa-5124dacb274b6188